A História do Camafeu

 

A prática de gravação em pedras para serem usadas como selos, amuletos e ornamentos, iniciou-se na Ásia Ocidental desde o IV milênio a.C. e se estendeu ao longo dos séculos pelos egípcios, minóicos e micênicos. O nome genérico gemmarius foi dado a toda pessoa que vendia pedras preciosas trabalhadas ou em estado bruto. Os gregos nominaram o processo de cavar por incisão os entalhes ou gemas, de diaglíptica; e o processo inverso, ou seja, a gravação em baixo relevo, usada para fabricar um camafeu, de anaglíptica.

A História do Camafeu

Camafeu Com A Imagem De Ptolomeu Filadelfo (Antepassado De Cleópatra)

A História do Camafeu

 O que é um Camafeu

A palavra camafeu deriva do latim cammaeus, que quer dizer pedra entalhada ou esculpida. Os camafeus começaram a ser criados no período helenístico (Império Grego), por volta de 300 a.C., em Alexandria, Egito. As gemas (maioritariamente em ágatas), cornalina, sarda, plasma, calcedônia, cristal de rocha, ametista, citrino e jaspe eram esculpidas de modo a formar uma figura em baixo ou alto relevo (em posição a entalhe) com o uso de raspadeiras, de cinzéis e de pedaços de abrasivo. Os camafeus eram usados tradicionalmente em joias (broches, pingentes, anéis, etc) ou adornos para roupas e sempre ilustrados com motivos de deuses e deusas, cenas mitológicas e figuras femininas. Mas ao longo dos anos, os grandes camafeus eram expostos nas casas e em cerimônias importantes usando vasos, ânforas, baixelas e copos. Nos tempos atuais, os camafeus são produzidos a partir da ágata, do ônix, da sardônica, do coral e da concha.

A História do Camafeu

O grande camafeu da França – O Grang Camée De France – a maior estrutura de camafeu existente do mundo antigo. MUSEU DE MOEDAS, MEDALHAS E ANTIGUIDADES NA BIBLIOTECA NACIONAL DA FRANÇA

A História do Camafeu

Colar Do Período Vitoriano

 

A História do Camafeu

Camafeus Em Vaso

Cammaeus Ad Aeternum

Entre os séculos V e VI a.C., foi uma época em que os incisores de camafeus alcançaram um domínio de excelência. No período grego, antes de Alexandre Magno, a maioria das gemas foi usada como pendentes, e só mais tarde que os anéis passaram a ser muito apreciados no período helenístico e romano. Alexandre Magno convocou o famoso gravador de gemas, Pirgóteles, para esculpir seu anel de sinete. Jovens mulheres do período helenístico usavam camafeus com a imagem do deus Eros (conhecido como Cupido) demonstrando disposição ao amor e ao casamento.

A História do Camafeu

O camafeu com o retrato de Luís XIV, num ônix vermelho em três camadas montadas em ouro e esmalte colorido, representa o rei na sua adolescência. A triunfante coroa em sua cabeça é uma referência direta a Roma antiga e aos generais romanos. A exaltação do poder prevê o sucesso militar do futuro rei.

A História do Camafeu

O camafeu em concha com o busto de Carlos Magno tem do lado direito a inscrição “Carolus Magnus” e foi produzido no século XVII. O imperador com sua barba imponente, usa uma coroa com flor-de-lis e uma armadura renascentista com motivos arabescos. Atualmente está preservado no Museu de Moedas, Medalhas e Antiguidades na Biblioteca Nacional da França

A História do Camafeu

O camafeu em concha lisa com o busto de Francisco I, o representa como um imperador romano usando coroa de louros, armadura e uma capa de imperador. Francisco I foi rei da França de 1515 até sua morte, em 1547. O camafeu está mantido no Museu de Moedas, Medalhas e Antiguidades na Biblioteca Nacional da França

A História do Camafeu

Camafeu Com A Imagem Do Deus Eros, Que Representa O Deus Do Amor

 

No final do período helenístico e início do período imperial romano os camafeus foram usados para representar membros ilustres das famílias reinantes para afirmar o seu estatuto e poder. Júlio César usava um anel de camafeu com a imagem da Vénus Genitrix. Durante o Império Romano, os camafeus trazem representada a figura de uma personalidade bastante emblemática do principado augustano – Lívia, esposa do príncipe Augustus de Roma – apontando uma crescente “divinização” de sua imagem. A técnica utilizada para gravar as imagens de Lívia nos camafeus se difere durante os 60 anos de império em que figurou como grande matrona romana.

A História do Camafeu

Camafeu Com A Figura Do Imperador Augusto

 

A História do Camafeu

Fayun Type ( Período a partir de 16 a. C., na Anatólia e Oriente) Penteado com a franja armada, a trança coroando a cabeça e indo até o coque, prendendo-o de modo mais discreto. A frente do cabelo compõe uma moldura cheia de ondulações para o rosto que tem o aspecto mais feminino com os traços mais suavizados. DESENHO DE MARY GROSVENOR WINKES

A História do Camafeu

Bochum Type (Depois de 14 d.C.) Cabelo partido ao meio com a coroa de Juno, representando a fecundidade. Aspecto da face já atemporal, com os traços do rosto suavizados. Lívia já é representada como sacerdotisa de Divus Augustus a partir desse momento. DESENHO DE MARY GROSVENOR WINKES

 

A História do Camafeu

O Camafeu Turquesa em alto relevo na cor verde-azulada. O tipo é do Bochum Type, que representa Lívia com seu filho e herdeiro Tibério trocando olhares de cumplicidade. MUSEUM OF FINE ARTS OF BOSTON

A História do Camafeu

Na primeira imagem, Lívia com penteado “Fayun Type” ornado com a coroa de Ceres (flores de acanto ou romã e espigas de trigo). Os traços são delicados e femininos, como os de Vênus. Na segunda imagem, o Camafeu de Viena – Lívia com o busto de Divus Augustus (após 14 d.C.)

Embora a produção de camafeus diminua com a queda do Império Romano nos séculos IV e V, a história continua. No período da Idade Média, assim como nos séculos XV e XVI, a admiração pelo camafeu e pelas imagens clássicas prevaleceu e tem sido uma constante até os dias de hoje. Entre os apreciadores mais ilustres de camafeus, podemos citar o Papa Paulo II (papado entre 1464-1471). Segundo consta, este Papa se ofereceu para construir uma nova ponte na cidade de Toulouse em troca de um valioso camafeu (a conhecida Gemma Augusta, agora em Viena), mas a proposta foi recusada. A rainha Vitória da Inglaterra mostrou grande predileção pelos camafeus e ditou moda entre as mulheres da época que passaram a usar o camafeu nas blusas, vestidos ou presos numa fita em volta do pescoço. Até o século XIX, os homens também faziam uso do camafeu em broches e anéis e em outros objetos como elmos, capacetes, peitorais de armadura e punhos de espadas. Napoleão Bonaparte foi um grande colecionador e chegou inclusive a inaugurar em Paris na França, uma escola para ensinar a arte do camafeu.

A História do Camafeu

Coroa de Napoleão Bonaparte

A História do Camafeu

Joia que pertenceu a Napoleão Bonaparte

 

A beleza dos temas tratados nos camafeus foi desde sempre elogiada, encantando pela delicadeza e pelo valor que representa. Um camafeu levava meses ou até anos para ser concluído. Hoje, os camafeus são produzidos sob encomenda, com o rosto ou perfil da pessoa amada ou ente querido; passados de pai pra filho mantendo o grande valor sentimental e unindo gerações.

 Centros de Produção de Camafeus

 

A cidade Torre Del Greco localizada na Baía de Nápoles, Itália, é um dos maiores centros de produção de camafeus. Os artesãos trabalham manualmente com ferramentas de aço e selecionam conchas e corais para a produção.

Outro grande centro de produção de camafeus fica na cidade de Idar-Oberstein, na Alemanha. As gemas são esculpidas com a ajuda do computador (devido à sua dureza) e são produzidos geralmente a partir da ágata, da cornalina e do ônix.

Os Camafeus na Atualidade

 

Hoje, um camafeu não é mais relacionado com o poder e a grandeza, mas sim, usado como adorno de moda compondo diferentes looks para ser usado em várias ocasiões, seja ele moderno ou clássico, mas sem perder a característica retrô. São acessórios muito femininos e delicados encontrados em pingentes, brincos, anéis, broches e pulseiras que deixam o visual mais elegante, romântico e com muita classe. Grandes marcas de referência no mundo da moda estão resgatando esse acessório e agregando nas suas coleções em versões mais transadas e modernas de street style, por exemplo. Camafeus podem ser encontrados em loja de joias, bijoux, acessórios e brechós; mas com certeza encontramos aqueles bem especiais nos portajoias da mamãe e da vovó.

A História do Camafeu

A História do Camafeu

A História do Camafeu

A História do Camafeu

Camafeus Modernos E Descolados Estão Em Alta

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Dicas, Looks, Moda e Beleza and tagged , , , , , , , , .

Deixe um comentário