Diamantes ou Brilhantes?

Talvez o diamante seja a pedra mais admirada de todos os tempos. Mais importante do que o tamanho é o maravilhoso jogo de luz que este mineral é capaz de refletir diante dos olhos, até mesmo através de uma pedra pequena bem lapidada. Mas diamantes e brilhantes são a mesma coisa ? Muitos acham que tem o mesmo significado, mas não é a mesma coisa. A diferença é muito simples. O diamante é a pedra bruta, como é encontrada na natureza. O brilhante é a pedra já lapidada, pronta para ser comercializada e usada nas joias; ou seja, o brilhante é o diamante lapidado (formato redondo, cortado em facetas para proporcionar o brilho que já mencionamos antes).

O diamante sempre foi lembrado desde os tempos antigos como um símbolo de romance e de amor eterno, mas esta gema também inspira inocência, purificação, reconciliação, confiança e serenidade. É a pedra da pureza. No passado acreditava-se que quem possuísse um diamante, adquiria junto uma força superior, coragem e vitória.

                                                         História do diamante

Há três bilhões de anos quando o centro da Terra chegou a temperaturas próximas a 3.815°c, proporções enormes de carbono que estavam no interior do planeta passaram por mutações espetaculares, chegando a se desprender da massa vulcânica e por fim se transformaram em cristais transparentes de tons amarelados, rosados, esverdeados e brancos. Assim nasceram os diamantes.

O diamante é o mineral mais duro que existe e assim como o grafite e o carvão, é formado por carbono puro, porém foi cristalizado sob enormes pressões e temperatura. Resumindo, diamante é carbono puro cristalizado.

                                                   Classificação dos Diamantes

Um dos fatores que conferem ao diamante cifras altíssimas é a sua raridade. A beleza e a durabilidade também influenciam no preço. Um diamante nunca vai mudar com o tempo, se desgastar ou precisar de alguma manutenção, mas tecnicamente são quatro fatores que determinam quanto vale cada diamante.

Peso (Quilate)

Basicamente é o seu tamanho, mas isso não quer dizer que quanto maior a gema mais valiosa ela será. No caso do diamante, é o resultado das combinações dos quatro fatores que avalia a qualidade da gema, mas vale dizer que é extremamente raro um diamante grande. Um quilate equivale à quinta parte do grama.

Cor

Quanto maior a ausência de cor (transparência), mais valioso será o diamante. Conforme a intensidade de matizes, as gemas recebem classificação de cor D, E, F, G, H… até chegar na Z. Os considerados brancos são os mais comuns, mas para quem não sabe, existem também os diamantes classificados de coloridos chamados de cor fantasia (fancy colour) e neste caso, quanto mais intensa for a cor, mais valioso ele será.

 Pureza

A maioria dos diamantes apresentam cristalizações (inclusões) naturais (minúsculas bolhas ou pequenas fissuras) dentro da pedra, que interferem na passagem da luz proporcionando diferentes graus de pureza. Um diamante considerado perfeito é aquele que não se vê a olho nu uma inclusão natural; isso não quer dizer que ele precisa ser “perfeito” para ser bonito.

Lapidação

É nesse processo de embelezamento que o homem influencia na qualidade do diamante. A partir da pedra bruta, o lapidário cria facetas que intensificam seu brilho. Por ser tão duro, o diamante exige muito polimento e com isso, criam mais reflexos da sua superfície do que em qualquer outra pedra. Existem inúmeros tipos de lapidação e cada uma com quantidades diferentes de facetas.

Diamantes em Várias Lapidações

Diamantes em Várias Lapidações

                                                                 Curiosidades

No século XV em 1477, a duquesa Marie de Bourgogne foi a primeira mulher a ganhar um brilhante. O arquiduque Maximiliano a presenteou, porque até então, somente os homens usavam essa pedra preciosa.

O comércio de semijoias, desde 1976, tem usado a zircônia cúbica, que é uma gema sintética (produzida em laboratório) como imitação do diamante, devido ao seu baixo custo, semelhança visual e durabilidade. A zircônia geralmente é incolor mas também pode ser produzida em uma grande variedade de cores, proporcionando demanda e uma maior acessibilidade do público neste mercado de luxo.

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Gemas, Moda e Beleza and tagged , , , , , , , .

Deixe um comentário