O ouro da Terra

Há quatro bilhões de anos aqui na Terra, se formaram as minas, jazidas e todos os minerais e metais existentes na natureza. Dentre esses metais, existe o ouro: uma matéria-prima esgotável extraída da natureza e considerado um dos metais nobres mais preciosos e antigos conhecidos pelo homem. Há relatos no Antigo Testamento e em hieróglifos escritos no Egito por volta do ano 2600 a.C., comprovando a existência do ouro desde a Antiguidade, mas não existe nenhuma pessoa responsável pela sua descoberta. O mais antigo artefato de ouro foi encontrado na tumba da Rainha Egípcia Zer.

ouro

Pepitas de ouro fino

O ouro, cada vez mais escasso, pode ser encontrado em depósitos aluviais (rios) ou em formações rochosas localizadas a quatro mil metros abaixo da superfície terrestre, porém em concentrações ínfimas. É preciso remover em média 100 Kg de rocha para obter um grama de ouro.

ouro

O ouro sendo explorado em depósito aluvial

Desde o início da civilização, o ouro sempre foi um símbolo de riqueza, ostentação e poder e; ao longo da história é considerado um excelente investimento (comprado sob a forma de lingote, moedas ou barras), isolado das flutuações do ciclo econômico. Por ser tão raro, o ouro possui um alto valor comercial e esse valor está em constante mudança, tendo seu preço cotado diariamente, assim como as moedas estrangeiras. Mesmo nos dias atuais, quase todos os países ricos e poderosos mantém uma reserva de ouro.

ouro

O ouro sob a forma de moedas e barras

O ouro é amplamente utilizado na joalheria (colares, brincos, anéis, relógios, etc), medalhas, circuitos eletrônicos, moedas, na gastronomia, na fotografia, para fins médicos (crisoterapia), biológicos, no revestimento de satélites por ser ótimo refletor de radiação infravermelha e bem como reserva de valor.

ouro

Peças de adorno confeccionadas em ouro amarelo

ouro

O ouro nos acessórios de moda

ouro

Taça Baccarat adornada com ouro

 

As principais características do ouro

 

O ouro (Au), do latim aurum, “brilhante”, é um elemento químico que está situado no grupo onze (IB) da tabela periódica de número atómico 79 e  massa atómica 197u. O ouro dificilmente sofre oxidação (sofre pouca alteração com o oxigênio), é o metal mais maleável conhecido (tem facilidade para ser moldado e adaptado), dúctil (com cerca de 1 grama de ouro pode-se obter um fio de 3 quilômetros de extensão ), é um ótimo condutor de eletricidade e calor. No estado natural o ouro apresenta coloração amarela brilhante e ainda é hipoalergênico, ou seja, não causa reação alérgica em ninguém. O processo alérgico que pode ocorrer ao se usar uma joia de ouro é devido à presença de outros metais presentes na liga metálica.

 

Ligas de ouro

 

Como o ouro é demasiadamente mole para ser utilizado, outros metais são adicionados ao ouro puro (24K), através da fundição, para aumentar sua resistência ao uso e durabilidade: são as ligas metálicas. Este procedimento é realizado para a confecção de joias que além de aumentar a resistência do metal, também varia a cor do ouro dependendo da liga utilizada. Os metais mais usados para esse fim são prata, cobre e paládio. Para o fabrico de joias é essencial ter uma clara noção das ligas de ouro e respectiva solda.

ouro

 

Quilatagem

K ou Kt (Quilate) – A pureza do ouro é definida pelo peso Karat. Quilates é uma medida de pureza que é medida a partir de 1 a 24. Assim, quanto menor o quilate, menor a qualidade (pureza do ouro). Quilatagem é o termo utilizado para indicar o teor de ouro puro de uma joia. Para indicar a pureza de uma liga de ouro, basta dividir sua classificação em quilates por 24 e multiplicar por 100, ou seja, um brinco de 10 g de liga com 12 quilates possui 50% de sua massa constituída por ouro (5g).

São conhecidas mundialmente as seguintes provas (ligas) de ouro: 333, 375, 500, 583, 585, 750, 800, 916,6, 958, 996, 999,9 (usada na indústria aeroespacial). O ouro 24 K é 100% ouro puro (1000/1000 partes de ouro), ou seja, é o ouro fino, sem consistência, logo não é aconselhável seu uso na confecção de joias. Já o ouro 750 (75% de ouro puro) ou ouro 18 K (750/1000 partes de ouro) é o ouro usado no Brasil que contém 18 partes de ouro e 6 partes de liga metálica (prata, cobre e às vezes, paládio, níquel ou zinco). O ouro 583 (58,3% de ouro puro) encontrado com maior frequência, inclusive utilizado nos EUA e na Alemanha, é o ouro 14 K (583/1000 partes de ouro) que contém 14 partes de ouro e 10 partes de liga metálica (prata e cobre).

ouro

 

A extração do ouro

A extração do ouro realizada em diversos garimpos é uma atividade muito rentável e está espalhada em quase todo território nacional. Minas Gerais, Pará, Mato Grosso, Bahia e Tocantins são os principais estados brasileiros que exploram o metal. O Brasil está classificado como a 10ª maior reserva mundial e 14º maior produtor, com 40 toneladas por ano. A África do Sul é o principal produtor mundial. De acordo com as perspectivas de produção e consumo atuais, todo o ouro existente na Terra, deve durar até o ano 2042.

ouro

Garimpeiro no rio Yukon, Canadá, em plena atividade em 1898

Se quiser complementar ainda mais sua leitura, leia meu outro artigo, Os metais na joalheria.

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Categorias, Joias e Acessórios, Moda e Beleza, Sem categoria and tagged , , , , , , .

2 Comments

  1. Letícia, estou iniciando minhas aulas de joalheria e seu Blog é muito esclarecedor para um iniciante como eu! Obrigada por dividir seus conhecimentos.

Deixe um comentário