Os Balangandãs de Carmen Miranda

Quem nunca ouviu falar de Carmen Miranda? Hoje, meu artigo será sobre ela. A cantora e atriz que conquistou o mundo nas décadas de 30/40 e que durante sua trajetória artística viveu momentos de puro sucesso e glamour e outros de grande fadiga; seguidos de ansiedade, tristeza e decepção.

A Carreira da Artista

A portuguesa Carmen Miranda chegou ao Brasil com sua família aos dez meses de idade, logo após o assassinato do rei de Portugal, em 1909. Cresceu e passou sua juventude no bairro da Lapa, Rio de Janeiro, onde trabalhou com moda em lojas que criavam e confeccionavam gravatas e chapéus e que em consequência desse aprendizado, passou a confeccionar suas próprias roupas. Em 1929, Carmen Miranda foi descoberta por um grande letrista da época numa festa beneficente em que cantava. A partir daí, gravou vários discos, estourou nos carnavais, nas rádios, nos shows em cassinos; se transformou na rainha das marchinhas e sua carreira foi impulsionada ao estrelato. Mais tarde, por volta de 1932, iniciou-se a carreira cinematográfica com filmes brasileiros e americanos, somando um total de 20 filmes. Em 1939, Carmen é descoberta pelo empresário norte-americano Lee Schubert que a leva para Nova Iorque, EUA. Nos Estados Unidos, estrelou vários filmes, participou de grandes espetáculos musicais, fez uma apresentação especial para o presidente Franklin D. Roosevelt na Casa Branca e, com sua graça, estilo alegre, extravagante e colorido acabou conquistando o coração dos estrangeiros; consagrando-se como estrela internacional. Em 1941, teve sua marca registrada também quando pisou na calçada da fama. Nos EUA ficou e por lá viveu até 1955, quando faleceu de ataque cardíaco fulminante na cidade de Los Angeles. Nesse período, sua vida conjugal encontrava-se desgastada e difícil, já estava fatigada pelas inúmeras apresentações que demandava seu trabalho que a levou a consumir estimulantes e calmantes em excesso. Mas a imagem que ficou, sem dúvida nenhuma, é de uma guerreira, de uma artista cheia de vida, entusiasmo e amor pelo trabalho e de uma mulher que marcou uma das trajetórias mais brilhantes da história de Hollywood; jamais será esquecida.

Carmen Miranda e seus Balangandãs*

carmen mirandacarmen mirandacarmen mirandacarmen miranda

Carmen Miranda, a Pequena Notável, mostrou-se bastante criativa ao elaborar a maioria dos seus looks para os shows. Os poucos 1,52 cm de altura se multiplicavam no palco quando a estrela hollywoodiana aparecia usando seus turbantes com adornos tropicais e exuberantes, suas sandálias com plataformas altíssimas e todo o colorido das roupas extravagantes e bijuterias. Criou uma identidade bem brasileira, sensual e autêntica. Com os sapatos plataformas no pé (15 a 20 cm de salto) e mais os turbantes (podiam chegar a 50 cm de altura), a figura da Carmen Miranda podia alcançar com facilidade 2,00 m de altura. Preferia usar bijuterias a joias, usava muitas pulseiras e colares de materiais e cores diferentes, enormes brincos e anéis; chegando a ditar tendências no mundo fashion e impulsionando a venda de bijuterias. Os turbantes monumentais eram uma boa referência às baianas (que usavam cestas com frutas na cabeça) e sempre variava seus adornos dependendo da personagem que representava nos palcos. Naquela época, as mulheres a copiavam em tudo, as vitrines de Beverly Hills tinham manequins com seu rosto e até revistas de bonecas de recortar e colocar roupinhas eram feitas inspiradas nela. Ainda hoje, o estilo de Carmen Miranda é inspiração para editoriais de moda e coleções.

 

Museu Carmen Miranda

carmen miranda

Fonte: guiadoturismo.blogspot.com.br

carmen miranda

Fonte: guiadoturismo.blogspot.com.br

carmen miranda

Fonte: guiadoturismo.blogspot.com.br

 

A alegria contagiante, o jeito de cantar inconfundível, o sorriso inesquecível e o estilo único, original e extravagante podem ser relembrados no Museu Carmen Miranda. O museu localiza-se no Rio de Janeiro e conta com grandes acervos sobre sua história a partir de cópias de figurinos, acessórios, bijuterias e roupas de seu acervo particular. O museu foi criado logo após sua morte a pedido dos fãs através do decreto assinado por Francisco Negrão de Lima, governador do Distrito Federal, em 1956. O museu abriga uma exposição com mais de 3 mil itens da artista, sendo 461 peças de pertences pessoais – 220 bijuterias, 11 trajes completos de shows e filmes, cintos e os famosos sapatos e turbantes – além de 1.900 partituras, manuscritos, roteiros, 710 fotografias e cartazes. É uma parte da nossa história cultural e musical que não podem ficar esquecidos. Endereço do Museu Carmen Miranda: Av. Rui Barbosa s/n°, em frente ao n° 560, no Parque do Flamengo. Informações: (21) 2334-4293. Além do museu, existe um site que fala sobre a vida de Carmen Miranda ( www.carmenmiranda.com.br).

 

 

 

*Balangandãs – Ornamento de metal em forma de figa, fruto, animal, etc., que preso a outros, forma uma penca usada pelas baianas em dias de festa; serve também como objeto decorativo, lembrança ou, se miniaturizada, joia ou bijuteria. Regionalismo: Brasil

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Joias e Acessórios, Looks, Moda e Beleza and tagged , , , , , , .

Deixe um comentário