Os Metais na Joalheria

Em quase todos os objetos que existem e que possuímos, há elevadas quantidades de metais em sua composição. Os metais são empregados maciçamente nos meios de transportes, na construção civil, aeronáutica e naval, nas instalações elétricas, ferramentas, indústria bélica; ou seja, a humanidade depende muito dos metais. Alguns metais e ligas metálicas, por terem características especiais são muito valorizados e usados para a fabricação de joias e adornos, na indústria de eletrônicos e na medicina. Mas antes de falar desses elementos (considerados fundamentais) na joalheria, vou destacar suas propriedades físicas e classificá-los como nobres e não nobres.

Principais Características dos Metais

Cor/Reflexão – Apresentam cores variadas, prevalecendo o dourado e prateado.

Maleabilidade – É a facilidade para moldar e adaptar as peças a certas temperaturas. Quanto mais maleável for o metal, mais fácil (menos trabalho) será de obter o resultado esperado.

Densidade – Cada metal possui um peso diferente. Por exemplo, duas placas idênticas de ouro e prata possuem pesos diferentes, pois o ouro é mais pesado em razão de sua maior densidade.

Brilho – Cada metal tem um brilho próprio que também é chamado de brilho metálico. A radiação que os metais recebem é transformada em energia em forma de luz. Na joalheria, costuma-se polir os metais para que sejam eliminadas da superfície as impurezas causadas pela oxidação e destacar o brilho natural.

Resistência à oxidação – Quando o metal sofre alteração na presença do oxigênio. O ferro é um dos metais que mais sofrem com a oxidação. A ferrugem é uma corrosão causada pela oxidação que destrói totalmente o ferro. Em metais nobres (na sua forma pura), não há oxidação.

Dureza – É a resistência que o metal oferece quando é riscado por outro metal, ou seja, certos metais são mais duros que outros. É possível aumentar a dureza dos metais através das ligas metálicas.

Metais Nobres

Fazem parte deste grupo oito elementos: irídio, ósmio, ouro, paládio, platina, prata, ródio e rutênio. Os metais nobres, popularmente chamados de metais preciosos, são muito utilizados na confecção de joias, principalmente o ouro, a prata, a platina, o paládio e o ródio. São considerados nobres em virtude de sua raridade. Apresentam alta densidade, não são corroídos pela exposição à atmosfera nem por ácidos ou sais, são maleáveis e podem ser reduzidos a fios ou chapas finas sem que haja uma ruptura ou fissura. Falando resumidamente sobre cada um deles:

Ouro puro ou fino (24 K)

O ouro é um dos metais mais antigos conhecido pelo homem, podendo ser encontrado em forma de escamas ou pepitas, nos rios ou em formações rochosas. É preciso remover em média 100 Kg de rocha para conseguir um grama de ouro. O ouro 24 K é muito macio para a fabricação de joias, então, usa-se o ouro ligado, ou seja, o ouro puro é misturado a outros metais para que aumente a sua resistência e durabilidade. A liga metálica também é utilizada para que o custo da joia seja reduzido (pela adição de metais mais baratos) e para obter cores variadas dependendo do metal utilizado (o ouro em seu estado puro possui cor amarela). Uma liga é um material metálico constituído por dois ou mais metais (obtido por processo de fusão) e no caso do ouro, os metais mais utilizados são a prata, o cobre e o paládio.

O ouro 24 K é antialérgico ou hipoalergênico. O processo alérgico que possa ocorrer ao se usar joias com ouro é devido à presença de outros metais que compõem a liga metálica.

os metais na joalheria

Pepitas De Ouro

 

Prata pura

Este metal é encontrado na forma de pepitas ou grãos e geralmente é extraída como subproduto da mineração do chumbo. Possui uma cor cinza, é muito maleável permitindo que seja laminada e trefilada em chapas e fios bem finos, além de muito macia em seu estado puro. Também utiliza-se a prata ligada (com o cobre) para a confecção de joias, a fim de aumentar sua dureza e resistência. É um metal nobre, porém com valor de mercado inferior ao ouro.

Platina

Na natureza, este metal é encontrado misturado com ferro, irídio, paládio e níquel. A platina tem cor cinza, brilho intenso, densidade altíssima, dúctil, pouco maleável e resistente à corrosão pelo ar. Na intensão de obter uma liga forte e dura são utilizadas pequenas quantidades de irídio na liga de paládio. Por ser um metal muito raro, a platina é mais valiosa que o ouro e a prata.

os metais na joalheria_Platinum

Fonte: HSamuel The Jeweller

 

Paládio

Esse metal nobre de cor cinza escurecido faz parte do grupo da platina e é encontrado na natureza em forma de pepitas. O paládio serve como base para a liga do ouro branco.

Ródio

O ródio é um dos metais mais duros que existem, por isso geralmente é trabalhado em altas temperaturas. Faz parte da família do irídio, é bastante resistente à corrosão e é muito usado para dar acabamentos em joias e semijoias. Esse metal possui uma cor prateada brilhante.

Irídio

O irídio tem cor branca, é muito duro e quebradiço e é o metal que tem maior resistência à corrosão. É muito utilizado na liga metálica para aumentar a dureza e a elasticidade da platina. Esse metal, além de utilizado na indústria joalheira, as ligas de irídio são usadas na produção de penas de canetas-tinteiros, agulhas de bússolas, agulhas de injeção e eixos de diversos instrumentos.

Ósmio

Metal de cor azul-acinzentada, de uma densidade muito alta (similar ao irídio), muito difícil de ser trabalhado mesmo em altas temperaturas e muito resistente à corrosão. Esse metal é extremamente tóxico no estado puro, é muito utilizado nas ligas para aumentar a dureza e durabilidade e também é muito resistente à reação com ácidos.

Rutênio

O rutênio é um metal muito duro, faz parte da família da platina (irídio, ósmio, paládio, ródio e rutênio), muito utilizado nas ligas com a platina e como endurecedor de substâncias. Tem cor branca e brilhante.

Metais Não Nobres

Fazem parte deste grupo seis elementos: o cobre, alumínio, níquel, zinco, titânio e estanho. São os metais mais abundantes na natureza e também são fundamentais na fabricação de joias. Esses metais em estado puro oxidam em contato com o oxigênio e são utilizados principalmente nas ligas metálicas. O cobre é um metal relativamente abundante e barato, muito presente na indústria (principalmente na produção de fios e cabos), é utilizado nas ligas de ouro, prata e platina e também na técnica de esmaltação, in lay de metais e mokumê gane para a confecção de joias. O alumínio apresenta boa resistência à corrosão, é muito maleável e sempre que ligado ao cobre e magnésio melhora sua propriedades mecânicas. O níquel é muito utilizado na galvanização (técnica contra a corrosão de metais) e é um dos elementos da liga de ouro branco. O zinco é um metal muito maleável e dúctil e bastante usado (quando ligado ao cobre) na ourivesaria para a fabricação de soldas. O titânio por ser um metal muito duro, deve ser trabalhado em altas temperaturas e é muito utilizado na joalheria moderna. O estanho, último elemento de metais não nobres, é muito resistente à corrosão, tem cor cinza-escuro e é muito utilizado na fabricação de bijuterias.

Processo De Fusão Do Metal

Processo De Fusão Do Metal

Finalizo aqui, ressaltando que na joalheria, nenhuma substância é totalmente pura (ouro puro, prata pura, etc), pois na natureza, uma substância quase pura sempre estará contaminada por uma ínfima quantidade de átomos de outro elemento químico, ou seja, nenhum elemento químico tem 100% de pureza. O ouro 24K (puro) tem aproximadamente 99,9% de átomos de ouro.

 

 

 

 

 

 

 

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Dicas, Joias e Acessórios and tagged , , , , , , , , .

Deixe um comentário