Peridoto: a Gema do Mês de Agosto

O peridoto, crisólita ou crisólito, é a gema do mês de agosto, segundo os esotéricos. Neste artigo você vai saber um pouco mais sobre esta gema pouco conhecida, mas não menos bela e valiosa que outras gemas comercializadas no mercado joalheiro. O peridoto é explorado pelo homem desde 1500 anos A.C. e foi descoberto na pequena ilha vulcânica de Zazirat Zabarjad (São João, nome dado pelos cruzados), no Mar Vermelho, próxima à costa do Egito. Os participantes das Cruzadas na Idade Média foram os responsáveis pela expansão do peridoto na Europa. Foram eles quem o trouxeram da Ilha de São João – cujas minas foram esgotadas e atualmente abandonadas. Também é a gema que representa o 16° aniversário de casamento, a pedra dos costureiros e dentistas e para quem se interessa por astrologia, o peridoto é a gema dos signos de libra e capricórnio.

Peridoto

Anel com peridotos facetados

Características do Peridoto

O peridoto é uma variação gemológica de forsterita, mineral que pertence ao grupo da olivina (termo criado pelo mineralogista A. G. Werner em 1790) devido a sua cor verde-oliva, mas essa característica pode variar para verde esmeralda ou verde claro, chegando a verde amarelada, verde amarronzada ou marrom. A olivina é um grupo de minerais que pertence à família dos nesossilicatos, cujos membros são constituídos por silicatos de magnésio e ferro, com fórmula química (Mg,Fe)2SiO4 e que se cristaliza no sistema ortorrômbico*. Quanto maior o teor de ferro em um peridoto, mais intensa é a cor verde e as gemas com maior teor de magnésio em sua composição, tem uma tonalidade amarelada.

O brilho do peridoto vai de vítrio a untuoso (oleoso). Por sua diafaneidade (transparência) variar de transparente a translúcido, o peridoto normalmente é lapidado em facetas; mas também pode ser lapidado em cabochão. Outra característica marcante dessa gema é o efeito de duplicação das arestas do pavilhão quando observadas através da mesa por uma lupa de 10 aumentos. Isso ocorre devido a sua elevada birrefringência** ou dupla refração que, em termos numéricos, equivale de 0,036 a 0,038.

Possui dureza 6 ½ a 7 na escala de Mohs, portanto, é considerada uma gema bem frágil. É também oportuno mencionar, que o peridoto pode perder seu polimento em contato com ácidos sulfúrico ou clorídrico e fraturar por aquecimento rápido ou desigual.

As minas de maior qualidade estão no Paquistão, Austrália, Quênia, México, Egito, Noruega, Mianmar, China e EUA. No Brasil, a produção é ocasional e provém das rochas peridotíticas dos municípios de Teófilo Otoni, Conceição do Serro, Patrocínio e Bonsucesso, todos em Minas Gerais. As minas de San Carlos, próximas ao rio Gila no Arizona (EUA), são os principais produtores de peridoto da atualidade. O peridoto é encontrado em larga escala na Terra e, possivelmente pelo universo, uma vez que é encontrado com frequência em meteoritos, em rochas de Marte e também na Lua, como registraram as missões espaciais norte-americanas Apolo 11 e Apolo 12.

Peridoto

Escala de Mohs – Fonte: lucian-bloquebio-geo.blogspot.com.br

Curiosidades

Os peridotos eram as gemas favoritas dos piratas, que os usavam como amuletos contra todos os males. De acordo com a tradição, o peridoto protege os órgãos torácicos (principalmente o coração, o timo e o pulmão), contra doenças. Protege o sistema digestivo contra disfunções ou moléstias tais como: cólicas, úlceras ou tendência à irritação. Também é indicado para tratar a circulação, sistema imunológico, infecções, pele e o rejuvenescimento. O peridoto no aspecto psicológico e mental, ameniza o ciúmes, o ressentimento, o despeito, a raiva e reduz o estresse.

Não são comercializados peridotos sintéticos para o universo joalheiro. Portanto, a forsterita, também do grupo da olivina, quando obtida por síntese, é utilizada como substituta da tanzanita.

A maioria dos espécimes de peridotos encontrados na Sibéria (Rússia) vem de um meteorito descoberto em 1776.

Apesar de relatos históricos, a quem diga que Cleópatra não usava esmeraldas, mas sim peridotos. A conclusão foi feita baseada na época em que as esmeraldas foram descobertas (a pós 1500) em reservas gemológicas encontradas na Colômbia.

 

* Os eixos cristalográficos servem como referência na descrição da estrutura e simetria dos cristais. Medindo suas dimensões relativas e os valores dos ângulos pode-se determinar a qual sistema cristalino pertence o cristal. Há sete sistemas cristalinos, chamados de: cúbico, tetragonal, ortorrômbico, hexagonal, trigonal, monoclínico e triclínico. Eles se subdividem em um total de 32 classes cristalinas. Sistema Ortorrômbico: Sistema cristalino em que os três eixos cristalográficos são mutuamente perpendiculares, como nos sistemas anteriores, mas cada um com um comprimento. Compreende 28,6% das espécies minerais conhecidas, sendo exemplos topázio, crisoberilo, zoisita e peridoto.

Fonte: www.cprm.gov.br / por Chirley Xavier Lamana

** Birrefringência: s. f. Min. Crist. – Efeito provocado pela anisotropia óptica de certos minerais, que consiste na divisão de um raio de luz em dois, com velocidades distintas e portanto com distintos ângulos de refração. A birrefringência de um mineral é dada numericamente como sendo a diferença entre o seu maior e o seu menor índice de refração. Quanto maior esta diferença, mais birrefringente é o mineral.

Fonte: www.dicionario.pro.br

 

 

 

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Gemas and tagged , , , , , , .

Deixe um comentário