Pérola: A Rainha das Gemas

Você já sabe que o romantismo, refinamento, elegância, riqueza e poder são ideias ligadas às pérolas nas mais diferentes civilizações. Além de glamour, as pérolas marcam ritos de passagem. Aqui no Brasil, como em muitos países, é uma tradição presentear as meninas que comemoram seus quinze anos, pois é quando debutam para a sociedade. Jaqueline Kennedy Onassis, uma das grandes personalidades do século XX e que foi mundialmente conhecida por sua elegância ímpar, adorava usar o famoso colar de três voltas e um par de brincos, ambos de pérolas. Em 1969, Elizabeth Taylor ganhou de presente de Richard Burton a célebre pérola La Peregrina, provavelmente a mais conhecida de todas. Desde que foi encontrada em 1500, esta pérola com formato de uma pera, vinha passando por várias montagens e por vários donos, até que chegou nas mãos de Elizabeth Taylor, que a usava pendurada na testa.

A rainha das gemas, como é conhecida, é originada a partir de um organismo vivo. As pérolas comercializadas para as joalherias são cultivadas pelo homem em dois ambientes distintos: água salgada e água doce. Mas como são cultivadas? Antes de explicar este processo temos que classifica-las em naturais e cultivadas.

Pérola Natural

Forma-se em um ambiente natural, como no mar ou no rio, quando um fragmento de concha, rocha ou um grão de areia acidentalmente invade o corpo do molusco, posicionando-se entre a concha e o manto (tecido mole que fica dentro da concha).

Pérola Cultivada

Já neste caso o homem é o responsável pelo início do processo, cabendo a ele introduzir manualmente o grão de areia no interior do molusco, que dará origem à pérola. O processo de cultivo das pérolas inicia-se introduzindo um agente irritante no interior do molusco e depois de mais ou menos três anos uma pérola se forma. Durante este período a ostra vai formando camadas de nácar (substância secretada pelo manto, rica em cálcio e água) em volta deste agente irritante para se proteger, se sobrepondo uma sobre a outra, resultando na pérola, no formato que conhecemos. As camadas de nácar tendem a manter a forma do núcleo inserido no interior do molusco; logo, pérolas que têm o formato mais esférico são mais raras e tem maior valor comercial. Este processo é bastante delicado e precisa ser feito por pessoas treinadas e experientes, caso contrário, todo o investimento poderá ser perdido. Como uma pérola cultivada é tão natural como uma pérola “original”, esse método de produção foi chamado pelo japonês Mikimoto de pérolas naturalmente cultivadas.

Quando vamos em busca de uma joia com pérola, reparamos nos pequenos detalhes. Por isso existem fatores que avaliam e determinam o valor de cada uma.

Imagem meramente ilustrativa.

Imagem meramente ilustrativa.

Características da Pérola

Tamanho

Adoramos pérolas grandes, não é mesmo ? Então, quanto maior a pérola mais valiosa ela é. As pérolas dos mares do sul, chamada South Sea, podem chegar até a 15 mm de diâmetro.

Forma

Podem ser redondas ou barrocas ( “irregulares”); mas quanto mais esférica, mais valiosa.

Cor

A branca, negra e colorida formam os três grupos de cores. A natureza, a qualidade da água, a temperatura e o alimento do animal determinam as cores que se formam.

Qualidade da superfície

É a condição que se encontra a superfície que vemos. Quanto mais perfeita, sem marcas, irregularidades ou manchas a pérola tiver, maior será o seu valor.

Brilho

A maioria das pérolas possui um brilho lindo de arco-íris. A intensidade desse brilho refletido da superfície vai mensurar o valor de uma pérola.

Espessura do Nácar

Quanto mais espessa for a camada do nácar, mais valiosa a pérola será. Este fator está relacionado com o tempo de cultivo de cada pérola.

Outra condição importante para valorizar uma pérola é o conjunto; ou seja, a harmonia visual que compõe a joia. Quanto mais semelhantes elas forem, mais valiosa será.

Cuidados e Limpeza

Para que uma joia com pérolas dure muito tempo, é importante ter cuidados especiais. Elas são muito sensíveis e delicadas e por isso devem ser guardadas separadamente das outras joias. Nunca use ácidos, detergentes, shampoo ou produtos de limpeza para limpá-las e evite também o contato com perfumes, maquiagem, cremes e fixadores de cabelo e isso não é à toa. O cálcio que é o composto da pérola se desfaz com facilidade em contato com outros minerais e compostos químicos. Sempre depois de usar basta passar uma flanela macia umedecida com água filtrada para conservar o brilho e para retirar o resíduo do suor da pele, dos cremes e maquiagem.

Agora é só usar! Fique linda, elegante e chique com esta joia que sendo clássica, pode combinar com qualquer estilo ou look !

Empresária, criadora e editora deste blog, com ampla experiência no mercado de luxo de São Paulo, nos segmentos de moda e joalheria.

Posted in Dicas, Gemas, Moda e Beleza and tagged , , , , , , .

One Comment

  1. Pingback: Junho, O Mês Das Pérolas - Joias in Vogue

Deixe um comentário